quarta-feira, 6 de abril de 2011

The Constant Gardener

Por todo o sentimento do mundo,
que as palavras saiam.

Não consigo abrir meu peito à dor da fome,
de forma que meu corpo inteiro se ensine ao que sinto.
É a mesma miséria ao lado, e dentro,
que anestesia.

Não acesso o além que explique,
embora aceite o que Existe,
como limite presente.

Continuo buscando, milagrosa e miserável,
muito mais que resposta,
a mim.

Nenhum comentário: