segunda-feira, 11 de abril de 2011

Cartas

                                                                                                                                            esqueci

agora

o que me vem...?

...

que fiquei de te falar na cama manhã de terça

falar assim:

" - Mas você é um rei. É um Deus.

O que é você? Não é um pedaço vivo de tudo? De tudo isso que é tanto!
E das fronteiras da sua pele não te habita por dentro a vida incessante?"
Há uma luz inominável que se abre nos seus olhos, no seu sorriso, no seu prazer.
O amor que sinto por isso é infinito, como o meu ser, que não sei onde começa ou termina.

Mas nossos dois corpos terminam,
é bom que terminem
que dessa fronteira nasce o contato

E sabe, quando esses corpos se unem, intuindo infinito e limite, o prazer ganha mais força, traz vida pro corpo e também pro centro do peito.

É uma alquimia o encontro, que transforma e inspira.

vou andando, pedalando com a vida me mostrando sempre,
onde for,
mostra na beleza e na miséria,
por ir fundo em qualquer coisa
qualquer coisa se revela

se deter à vida
sem expectativa
relaxar no vazio

sentir

Nenhum comentário: