segunda-feira, 11 de abril de 2011

Cartas

                                                                                                                                                                                    Com o Sol de Inverno

Uma nova manhã hoje acorda
em mim tudo o que sei da solidão
desconheço a cama
a janela
moro no corpo

de antigo aqui só a alma e o espírito
da Natureza que me aguarda em tudo

sonhando nas sementes
escondidos nas ervas
e se abrindo nas flores

com o tempo do frio que chega na cidade
a música e o sol do inverno
dão tal força aos passos
que a beleza acorda
e vem dançar a cena

dos pássaros sinto
que por onde quer que vá
estarei segura



monte
em você
a vida também criou liberdade


sua beleza não se perde em mim
se não te vejo


nosso coração vai tranquilo
pelas estradas


aqui e aí confio
que recebes bem
cada palavra
amiga
na essência da troca que nunca se perde
vai-se transformando, seiva
de uma fonte desconhecida e inesgotável

Nenhum comentário: