segunda-feira, 11 de abril de 2011

Cartas

                                                                                                                                                 nunca se sabe                           

que bom que você escreveu

faz diferença enxergar as coisas desse jeito, com a responsabilidade sobre as experiências e descobertas que eu expresso

sempre me sinto uma novata deslumbrada no autoconhecimento, atenta a qualquer detalhe que possa me abrir o que não conheço ou o que não concordo. É a verdade que está em jogo, não quero saber de onde vem o novo, o errado, o estranho, o desencaixado, tudo é possivel de ser vivo no caminho, por isso nunca senti isso que você me explicou, como se tivesse que aceitar qualquer coisa, porque o nosso filtro interno acende só quando a coisa faz sentido, eu confio nisso, e se não dá pra entender direito, gera curiosidade, busca, qualquer sacudida é sempre boa, mostra que a gente não tem controle sobre as situações ou sobre a verdade, mostra humildade.

Está tudo aí, entende? Não é pra ser levado tão a sério, porque muda e muda e ainda assim é muito importante estar presente e dar importancia pra cada coisa poder mudar, poder viver seu ciclo de sentido. Falar sobre isso é trazer pra vida sem medo a intenção de colocá-la sob foco, é tão bom! Vejo e sinto isso de um jeito inocente e livre. Isso é muito importante de ser dito, é muito sincero.

Bom, o outro lado da história é que você me pediu pra não fazer mais isso. Tenho que dizer que fazer isso é a coisa mais natural pra mim. Falar sobre o que eu vivo e penso.Quando estou conversando com você, com pessoas amigas, é muito mais uma deliciosa troca de palavras pra achar algo novo ou pra sentir mais profundamente os limites, a profundidade do que eu falo. Eu estou isenta do que eu falo tanto quanto você, estou comprometida com a verdade daquilo em mim, não comigo.
Você consegue sentir isso? Passei a vida percebendo as defesas de quem se apega ao que diz como se fosse a si próprio, vendo disputa e afirmação, defesa e controle, movimentos do ego em ameaça, foi o que mais me foquei na relação com o outro, desenvolver amor na conversa.

Agora, quando você fala que ao mostrar acaba parecendo solidariedade, não é a verdade, mesmo sendo o que você sente. E isso importa muito, porque eu poderia identificar isso dentro de mim quando estou na situação. O meu coração está curioso, está entusiasmado, está querendo criar, lembrar, falar sobre
algo importante e profundo! E se existe um confronto me sinto aberta, desafiada positivamente, amo ainda mais a situação. Minha posição quer você como um igual a saborear da mesma coisa que não me pertence, não pertence a ninguém, é como se eu abrisse um livro ou um jornal e puséssemos a falar das nossas experiências sobre aquilo que estava escrito. Não há disputa, há construção.
O seu papel ali pra mim é, e nos últimos dois anos sempre foi, de alguém que eu confio que pode me entender e compartilhar do mais importante.

Quanto aos nossos papéis, não sinto eles com clareza. Sinto eles mais no colegial, depois só vejo mudanças no meu jeito de sentir você. Poderia dizer o que sinto, mas é etereo, difícil de explicar; sinto sua importância de uma forma muito concreta, sua presença de alguém que ajuda, toda vez que te encontro, uma força interna, uma energia deliciosa de sentir, e isso me faz ser extremamente natural e livre.

O que aconteceu dessa vez vai me fazer ficar mais atenta (não necessariamente tensa). Você me mostrou o que sentiu de tudo e isso tem que ser levado em conta. Eu te mostrei o que senti de tudo isso e levar isso em conta pode mostrar coisas sobre medo e confiança interna.

Não é que "o medo deve virar confiança" em relação às conversas sobre autoconhecimento e nem em relação a nada. Quero dizer que existe mais coisa além do que você percebeu e isso pode se ampliar. Assim como eu vi coisas além do que eu percebi.

Sempre quero sentir você como uma força viva pronta a desafiar todos os mistérios, debravar todas as veredas, sem medo do caos nem da luz infinita.

amo você perfeito como vocé é
admiro e amo toda a sua busca, essa sinceridade
vai além das palavras, até da minha compreensão

Nenhum comentário: