segunda-feira, 11 de abril de 2011

Cartas

                                                                                                                     voce aqui, agora                                                                                          

Fiquei um tempo ouvindo Sigur Ros com um amigo, e acabamos de ler um texto que trouxe você.
Há muito tempo não há eco entre nós, mas eu respeito sempre a minha vontade de trocarmos Vida, então sigo tentando.
Lembrei que quis te enviar um filme de presente, mas não sei onde você mora, se quiser me dizer algum dia...
vou gostar de mandar.

Aqui, agora, estou tentando estar aqui, agora; tenho crescido muito, pra cima, e caminho
em frente, devagar.

Sinto o seu Ser, Sei,
Sua essência,
de algum modo misterioso,
Acredito
no que nos liga
nessa vida.

Estou aberta pra ti, porque já me perdoei,
e sempre vou pedir, sincera, que você me perdoe por tudo que passou.

Que você possa sentir o Designio da Vida em traçar o Difícil e o Belo, entrelaçando-os.

Te amo, em essência,
e por esse amor e gratidão continuo sempre
feliz em recebê-lo, quando vem.

Nenhum comentário: